A economia compartilhada já é uma realidade nos principais centros urbanos mundiais. O conceito, introduzido principalmente por entusiastas da tecnologia, tomou forma com a adaptação da internet ao mercado de trabalho, promovendo a prática de dividir o uso ou a compra de serviços de forma facilitada, ou seja, acionando a cultura do compartilhamento.

Com isso, moradias, locais de trabalho e meios de transporte urbano modificaram-se consistentemente para se encaixar nos estilos de vida contemporâneos. Surgiram facilidades pelo uso de aplicativos como o Uber para chamar um carro que leva você a qualquer lugar, em qualquer horário, e novas tendências para o mercado imobiliário, impactando no aumento da procura por soluções rápidas para problemas, experiências compartilhadas e locações por temporada.

Por isso, neste post, nós, da Execute, vamos mostrar como a economia compartilhada criou novas demandas no mercado de imóveis. Confira!

Studios compactos

Diante da economia compartilhada, o consumidor deseja soluções práticas para as suas necessidades. Por isso, ele tem buscado não só um lugar seguro para viver, mas o conforto, a qualidade de vida e as facilidades que um empreendimento pode oferecer.

Com isso, o mercado imobiliário sofreu impactos. Passou a ser necessário colocar esse perfil de cliente no foco e pensar que, além da procura por um bom apartamento, existe também a busca por lugares que combinem praticidade e bom preço, garantindo bem-estar e experiências únicas.

Nesse contexto, os studios compactos ganharam destaque. Esse tipo de moradia virou tendência porque vai ao encontro direto do novo estilo de vida das pessoas, principalmente dos moradores das grandes cidades urbanas, como São Paulo, Nova York, Montreal, Sydney e Hong Kong, por exemplo.

Com o dia a dia cada vez mais corrido, eles buscam por imóveis próximos à região onde trabalham e que sejam fáceis de cuidar dentro da rotina diária. Isso transformou o desejo das pessoas que, agora, procuram investir em empreendimentos que abracem as exigências de um padrão elevado de entrega, tragam praticidade ao dia a dia agitado e ofereçam momentos de lazer e descanso. 

Alinhado com este novo modelo está o LIV., um empreendimento da Execute que carrega diversos diferenciais que o tornam moderno e conectado com o futuro. Conheça mais sobre o LIV.

Locação por temporada

Outro impacto da economia compartilhada no mercado imobiliário diz respeito aos aluguéis de imóveis. Em destaque estão os apartamentos do Airbnb. A plataforma nasceu como um Bed & Breakfast virtual e tem a maior oferta de quartos do mundo sem possuir nenhum hotel. Por meio do aplicativo, é possível escolher o imóvel que se deseja alugar e fechar negócio por um período curto de tempo, sem grandes burocracias ou impeditivos.

Essa lógica mudou a visão dos investidores que, hoje, procuram um imóvel capaz de servir para locação por temporada. Sendo assim, o mercado de imóveis sofreu adaptações, e os empreendimentos preparados para receber esse novo perfil de investidor saem na frente.

O LIV. é um ótimo exemplo de empreendimento projetado e planejado para esse modelo de oferta. Além da infraestrutura e da qualidade de vida que oferece, é a solução completa para quem deseja tornar o seu patrimônio rentável e praticar o aluguel de curta temporada sem preocupações. Somando-se à possibilidade de receber a unidade mobiliada, o investidor conta com uma administradora especializada para gerenciar os aluguéis de curta temporada, bem ao estilo Airbnb.

Espaços de compartilhamento e serviços

Por fim, destacamos um dos pilares da economia compartilhada e que, inclusive, distancia-se da percepção clássica que forjou o estilo de vida do passado: a prioridade que se dá às experiências. Dentro dos condomínios é possível encontrar transformações nas áreas comuns. Ganham destaque os espaços de convivência, coworkings, ambientes funcionais para manter a rotina dos moradores organizada e espaços de lazer que promovam o compartilhamento

Por isso, o LIV. oferece espaços que funcionam como a extensão dos studios. O espaço coliving, por exemplo, conta com uma lavanderia compartilhada e sala de reunião. Saúde e bem-estar também estão presentes com o espaço fitness indoor e outdoor, além de ambientes com redes suspensas e lareira ecológica externa para o compartilhamento de bons momentos com vizinhos, amigos e família. Sem esquecer, é claro, do bicicletário que conta com bikeselétricas e comuns compartilháveis e espaço para as bikes dos proprietários e locatários. 

Entra também nessa lista a oferta de serviços importantes que facilitam o dia a dia dos moradores. Entre eles estão o sistema pay-per-use, no qual o hóspede tem acesso rápido a muitas comodidades exclusivas, como limpeza de apartamento e serviços de camareira e dog walking para os pets, assim como o storage room, uma solução do empreendimento pronta para receber suas encomendas, inclusive aquelas refrigeradas – um serviço disponível 24 horas por dia através da recepção do prédio e que já está incluso nas taxas condominiais tradicionais, ou seja, uma exclusividade e praticidade, sem gerar nenhum custo extra. Tudo para tornar a sua vida ainda mais prática e promover experiências conectadas em um cenário  de economia compartilhada.

Gostou do post? Então continue acompanhando as nossas publicações no blog e conheça mais sobre o LIV.!

Leia também: Apartamento de alto padrão, mas compacto? Conheça o LIV.