A progressão tecnológica possibilitou novos avanços no mercado imobiliário. Na área de locações de curta temporada, um método inovador surgiu através da Airbnb – empresa criada em 2008, atualmente presente em mais de 100 mil cidades ao redor do mundo. Baseada na economia colaborativa, ela permite que os usuários anunciem acomodações (desde quartos compartilhados a imóveis completos) a uma enorme quantidade de viajantes de todos os continentes.

Ao todo, a plataforma oferece estadia em mais de seis milhões de imóveis e você também pode fazer parte dela. Como? Nós, da Execute, vamos contar neste post. Saiba mais sobre a Airbnb e as novas formas de locação de imóveis!

Afinal, o que é a Airbnb e por que investir nesta plataforma?

De acordo com o próprio site da empresa, a Airbnb busca oferecer “um serviço on-line comunitário para as pessoas anunciarem, descobrirem e reservarem acomodações e meios de hospedagem” em âmbito mundial, com melhores preços, datas disponíveis, avaliações de usuários e outros dados.

No Brasil, a plataforma só iniciou suas atividades em 2012 e ganhou bastante destaque durante a Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016 – eventos mundiais que movimentaram o país.

Para os investidores, esta é uma excelente forma de gerar retorno financeiro, principalmente em imóveis modernos e bem localizados, os preferidos pelos viajantes.

A matemática é simples: em 2018, foi registrado um aumento de mais de 70% nas buscas via aplicativos por aluguel de imóveis por temporada. No mesmo ano, quase 4 milhões de hóspedes registraram entrada em imóveis pela Airbnb somente no Brasil. Analisando os números, fica evidente que seu imóvel precisa estar presente nesta ferramenta.

Anunciando o seu imóvel por curta temporada na Airbnb

Para utilizar a plataforma é necessário que o usuário crie um perfil no site. Anfitriões devem, além de cadastrar seus dados, criar um perfil para o imóvel. São solicitadas informações práticas para o público, como: período disponível para hospedagem, fotos claras do espaço oferecido, regras de uso e instruções pessoais, endereço e localização do imóvel.

Feito isso, como citamos inicialmente, uma boa estratégia é alugar seu imóvel para curtos períodos de tempo.

Diferentemente do modelo convencional de locação em que o inquilino reside por meses ou mesmo anos no imóvel, o aluguel de curta temporada visa atrair turistas que estão na cidade com objetivo de participar de eventos, cursos, atividades de lazer e entretenimento, por motivos de saúde ou ainda por outros interesses não listados.

Porém, mantenha-se atento para que o prazo de hospedagem do seu inquilino não ultrapasse os 3 meses. A Lei do Inquilinato (nº 8.245/91) determina que, após 90 dias de locação, o aluguel passa a ser enquadrado como fixo, o que define outras tributações e especificações.

Retorno sobre o investimento

O retorno pode variar de acordo com uma série de fatores sazonais ou determinados pelo proprietário. Ainda assim, a Execute construiu uma simulação para locação de curta temporada do studio de 28m² privativos do LIV.:

Aluguéis de curta temporada em plataformas como a Airbnb podem ser a solução perfeita para os investidores do ramo imobiliário. Para tornar essa experiência ainda mais prática, a Execute traz um empreendimento com diferenciais únicos, contando com a opção de unidades mobiliadas, projeto de segurança exclusivo para alto fluxo de pessoas, gestão de aluguel e inclusive a possibilidade de disponibilizar o seu  Airbnb e os serviços pay-per-use. Tudo para garantir ainda mais comodidade ao investidor. Conheça o LIV. e todos os diferenciais que o tornam completo.

Ficou com alguma dúvida? Tem alguma experiência com a Airbnb e outras plataformas para aluguel de imóveis para curta temporada? Compartilhe conosco nos comentários!